Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \28\UTC 2009

Espelho deforma?

“Rimo-nos, nas barracas de diversões, daqueles caricatos espelhos, que nos reduzem a mostrengos, esticados ou globosos”. Guimarães Rosa — “O Espelho”

por André Figueiredo Müller

Read Full Post »

O conto foi enviado para o e-mail da turma.  Enquanto isso…

“- Nada menos de duas almas. Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para dentro… A alma exterior pode ser um espírito, um fluído, um homem, muitos homens, um objeto, uma operação”  Machado de Assis

Read Full Post »

Senso-comum

(mais…)

Read Full Post »

DESAFIO

Caros alunos,

percebi durante a correção da prova que alguns de vocês se confundiram com a definição do gênero literário romance, por isso resolvi lançar um desafio. Conceituem o gênero romance e postem aqui as respostas de vocês.

Vamos discutir o assunto?

Bibliografia sugerida:

BAKHTIN, Mikhail. Epos e romance. Questões de literatura e de estética, São Paulo: Hucitec/UNESP, 1993. pp. 397-428.

BARTHES, Roland. A preparação do romance – trad. Leyla Perrone. São Paulo: Martins Fontes, 2005. vol.1, pp.19-46.

BARTHES, Roland. A escritura do romance. Novos ensaios críticos, rad. Heloísa Dantas. São Paulo: Cultrix, 1976, pp. 133-139.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio.Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

COMPAGNON, Antoine. O mundo. O demônio da teoria: literatura e senso comum, Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999. pp. 97-138.

PIGLIA, Ricardo, “Una propuesta para el nuevo milenio”, Margens/Márgenes, n. 2. Belo Horizonte, Mar Del Plata, Buenos Aires, out. 2001, p. 3.

WATT, Ian. A ascensão do romance. São Paulo: Companhia. das Letras, 1990.

Read Full Post »


Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha:

— Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrolada, para fingir que vale alguma cousa neste mundo?

— Deixe-me, senhora.

— Que a deixe? Que a deixe, por quê? Porque lhe digo que está com um ar insuportável? Repito que sim, e falarei sempre que me der na cabeça.

— Que cabeça, senhora?  A senhora não é alfinete, é agulha.  Agulha não tem cabeça. Que lhe importa o meu ar? Cada qual tem o ar que Deus lhe deu. Importe-se com a sua vida e deixe a dos outros.

— Mas você é orgulhosa.

— Decerto que sou.

— Mas por quê?

— É boa!  Porque coso.  Então os vestidos e enfeites de nossa ama, quem é que os cose, senão eu?

(mais…)

Read Full Post »

O JULGAMENTO DE CAPITU

Os quadrinhos do julgamento de Capitu foram publicados no Extra, popular jornal carioca, por seis dias diariamente. A história foi escrita por João Arruda e ilustrada por Vinícius Mitchell, e procurava responder a pergunta que sempre atormentou os leitores de “Don Casmurro”,  de Machado de Assis: Capitu traiu ou não Bentinho?

O final escolhido pelos leitores foi escrito por Bruno Vianna que, como vencedor da promoção, ganhou 10 livros do Machado de Assis.

Acompanhe aqui O Julgamento de Capitu – CLIQUE NOS QUADRINHOS PARA AUMENTÁ-LOS!

(mais…)

Read Full Post »

Enquanto não chega a aula….

Read Full Post »

Older Posts »